quarta-feira, 23 de outubro de 2019

A maior de todas as aventuras se repete



O pescador grego retira a pérola do mar. Ele a observa e a nomeia "margarítes", ou talvez "maragon".

Resultado de imagem para pérola mar

Dali para as plagas latinas, a joia luzidia passa a ser chamada de "margarita". Vira nome de flor. Vira nome de mulher. A palavra já não alude somente a pérola. Há um significado expandido, talvez inspirado no vocábulo persa "murvarid", utilizado para designar as criaturas de luz. E assim Margarita passa a significar ser iluminado.

Subindo pelo continente europeu, vai iluminar os franceses e os ingleses, mas agora adaptado para Margot. E nesta forma, ou como Margô, vai batizar meninas portuguesas a partir do século XIII.


E agora Margot vive em nossas entranhas, para em abril viver em nossos braços e para sempre em nosso amor. Vive e ilumina nossos rostos, nossa casa e nossas almas, tão necessitadas dessa renovação de esperança.

Seja luz no mundo, menina Margot.

Nenhum comentário: