segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Cadeia é mais fácil do que construir respeito (ou Parece que eu caí na pegadinha)

Há algo de muito errado com este mundo, coisa que eu já sei há bastante tempo. Já escrevi outras postagens sobre os sintomas de um mundo doente. Acabei de me deparar com mais um, agorinha, ao tomar conhecimento do caso da mulher  esposa, mãe, profissional — que cometeu um crime porque desejava ser presa e, com isso, ficar um pouco só e ter tempo para si mesma!
A notícia, em si, causa perplexidade. Mas fiquei ainda mais desarvorado ao assistir à reportagem e constatar que, em vez de uma mulher deprimida e desesperada, como imaginei que ela estaria, a protagonista desta história está, neste momento, totalmente relaxada, sorridente, cheia de livros para ler e CD para escutar, respondendo com debochado bom humor às perguntas. Comporta-se levianamente, a ponto de rejeitar uma conversa com o advogado criminalista contratado para assisti-la. Aparentemente, ela acredita estar tirando uns dias de férias, que durarão quanto ela quiser — mais ou menos correspondente ao seu estoque de livros e discos.
O teor da matéria, não à toa vindo de um "Jornal Sensacionalista", não ajuda. O marido teria contratado o melhor criminalista da cidade para defender sua esposa, mas não por preocupação com ela, e sim porque não está dando conta da dupla jornada: não está podendo trabalhar nem jogar pelada. Sinceramente, gostaria de ter maiores detalhes sobre o caso, pois não quero acreditar que esse drama é composto por um conjunto de inconsequentes.
Para completar, ainda aparece uma sociológica louvando o gesto da professora, como um ato de libertação mais grandioso do que a queima dos sutiãs, apoteose do feminismo até aqui. Fala sério.
Será que cometer um desatino e ir para a prisão é mais fácil do que se acertar com o marido, dividir tarefas, cobrar responsabilidades dos filhos, etc.? A professora em questão parece ter razoáveis condições financeiras, a julgar pelo prédio em que vive, por seu nível de educação e pelo tal melhor criminalista contratado. Precisávamos mesmo desse showzinho?

***

Mas enquanto outros discutem o valor dessa sandice para o feminismo, o criminalista que sou se inquieta também com outras coisas. A professora praticou um furto (e não um roubo, como diz a matéria, a menos que haja alguma informação obtida). Crime sem violência praticado por uma pessoa primária não poderia sujeitá-la à prisão cautelar. Que diabo de lugar é esse em que um juiz mantém presa uma mulher nessas condições? É constrangimento ilegal!
E não me venham dizer que ela prefere assim, porque a cadeia não é quintal da casa dela. O espaço não está à disposição dos engraçadinhos. Persecução criminal é coisa séria, embora ela não saiba ou prefira ignorar.
Também estranhei a cela vazia e limpa. Que lugar é esse?!
E, para arrematar, os comentaristas da matéria ainda acham tudo legal e divertido. Dá para levar a sério o brasileiro?

Agora você lê a caixa de comentários e percebe a barrigada que eu dei...

5 comentários:

Anônimo disse...

caro professor este jornal é ficticio, uma brinacadeira veiculada diariamente num canal fechado o Multishow, um jornal de humor não o leve a serio.

Um academico da Unama,abraços.

André Coelho disse...

O Sensacionalista é um jornal fictício, uma peça de humor que antes tinha apenas versão escrita, mas agora tem também um programa de TV, se eu não me engano, na Multishow. Nada do tem na notícia é real.

Luiza Montenegro Duarte disse...

Hahahaha, amigo, assim que li a palavra "Sensacionalista", tive uma crise de riso, já imaginando do que se tratava! Pelo menos animou a noite! :D

Yúdice Andrade disse...

Pois é, meus queridos, desta vez eu me estrepei. Mas como não gosto de eliminar postagens, até porque o erro também diz sobre mim, o jeito é seguir em frente.
Aliás, o fato de eu ter acreditado na piada já é sintomático, não?

caio disse...

Calma, professor, outros já caíram no Sensacionalista, haha. Muitos que comentaram nessa outra postagem realmente acreditaram no teor dela e esbravejaram com Dilma, PT, o Brasil e tudo o mais...

http://www.sensacionalista.com.br/2012/10/09/dilma-decreta-feriado-nacional-no-ultimo-capitulo-de-avenida-brasil/