segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Como é que pode?!

Quando Júlia acorda no meio da noite, normalmente chama a pessoa que a fez dormir. No caso desta última noite, eu. Mas quem acorreu ao seu chamado foi a mãe. Então a pequena reclamou:
- Mamãe, como é que pode? Eu chamo papai e vem a mamãe! Quando eu chamo mamãe, vem o papai!
Polyana explicou que qualquer um dos dois poderia vir e etc. Júlia voltou a dormir. Mas quando amanheceu o dia hoje, despertou cedo e foi logo chamando a mãe. Quando eu entrei no quarto, ela fechou a cara e disse:
- Papai, eu já falei sobre isso!
Como sempre digo, marrenta que só ela...

4 comentários:

Vera Cascaes disse...

Adoro as "crônicas da Júlia" ! Que menina incrível, a doce Júlia!
Parabéns!

Frederico Guerreiro disse...

rsss...

Ana Miranda disse...

Eh...eh...eh...

E olha que isso é só o começo!!!

Yúdice Andrade disse...

É uma criança adorável, Vera. A maior parte do tempo...
E eu estava com saudade de publicar mais crônicas da pequena.

Foi engraçado, mesmo, Fred. As duas vezes.

É o que todos me dizem, Ana!