sábado, 24 de março de 2012

Mulheres autoafirmadas de hoje

Um dia, não me recordo por qual motivo, disse em sala de aula que as mulheres lutaram tanto para conquistar direitos e espaço na sociedade mas, hoje (naquele momento, porém a conjuntura não mudou após alguns anos), o único objetivo que parecem ter na vida é ser magras. Notei algumas feições femininas surpresas com o comentário, mas ninguém me contestou e, inclusive, havia olhares que me pareciam ratificar a premência dessa prioridade.

Perguntei-me se precisava mesmo fazer isso,
mas no fim decidi ocultar os mamilos
(por sinal minúsculos) da moça.
Quem quiser vê-los não terá o menor trabalho.
A imprensa do nada destacou, esta semana, o ensaio fotográfico da modelatriz Aryane Steinkopf para a revista Playboy. A moça exerce as altas funções de "panicat", o que já diz muito.

Duas pessoas que estavam ao meu lado no momento em que a matéria foi acessada fizeram comentários que me pareceram oportunos. A garota disse que, em se tratando "dessas mulheres", o mais difícil é vê-las com roupa.

Deveras, procede. Hoje, existe uma legião de mulheres que ganha a vida se expondo de toda forma, inclusive tirando a roupa em plena Avenida Paulista, num dia e horário de movimento.

Eu nem perguntarei o que uma feminista acharia disso, mas me pergunto o que uma mulher comum, que estuda, trabalha, tem seus planos, pensa desse carreirismo social explícito. Gerações lutaram pelo direito ao voto, ao estudo, à profissionalização, para que essas meninas de hoje estejam livres para lutar pela nudez, por escândalos públicos e, quem sabe, por um bom casamento ou ao menos por um filho com algum jogador de futebol imbecil porém milionário. Sintomático que a cidadã tenha dito que ficar nua na rua foi o "maior desafio" de sua vida. Porra, minha mãe teve que sustentar sozinha dois filhos e uma irmã, então não esperem condescendência de minha parte.

Acho triste o papel que essas moças cumprem na sociedade atual. E por livre escolha. Afinal, as gerações do passado lutaram, acima de tudo, pela liberdade, pelo direito ao próprio corpo, e foram sucedidas por criaturas que cedem o corpo para o consumo geral, sob variadas formas. Cristalizam o estigma da mulher-objeto. E retardam o dia em que os homens entenderão que uma mulher tem o direito de dizer não ao sexo.

O segundo comentário veio de um homem e criticou a padronização estética dos nossos dias. As mulheres hoje precisam ser louras (inclusive as que formam gangues), totalmente depiladas (ele e eu achamos isso horrível, além de ser uma ameaça à saúde íntima e um estímulo à pedofilia) e ter o corpo talhado em academia. Se há alguns anos já havia a massificação cultural (todo mundo se vestindo igual, dançando igual, fazendo os mesmos programas, etc.), hoje a massificação é também física, o que me deixa ainda mais assustado e inseguro quanto ao futuro.

99,99% dos homens que viram as fotos em questão pensaram apenas uma coisa: "que mulher gostosa!" "Se eu pegasse, faria isto, aquilo, etc." Mas eu lamentei, como aliás lamento todos os dias, os rumos que o nosso mundo tomou. Sim, eu achei a garota um espetáculo. Mas se um dia a minha filha tirasse uma foto dessas, eu me recolheria ao meu quarto e choraria. Não quero isso para ela e nem para a filha dos outros.
Mas elas mesmas querem (muitas, não quero generalizar). Fazer o quê?

8 comentários:

Ana Miranda disse...

Perfeito!!!

Concordo em gênero, grau e número!!!

Sem mais comentários...

Anônimo disse...

Perfeito seu comentário!Irretocável!

Aline Bentes disse...

Yúdice querido,
Dia desses eu vi alguém falar em um programa de tv (não lembro quem) que a sociedade perdoa as burras, mas não as gordas. Tenho pensado muito nisso, pois, de um ano pra cá, depois de ter tido filho - e vindo de uma gravidez complicadíssima, na qual fiquei 7 meses de cama, de forma radical - engordei bastante. E é muito engraçado - e triste - perceber que as pessoas, de fato, não perdoam e não aceitam a gordura, especialmente a feminina. Não importa se vc é inteligente, bem sucedida, séria e respeitada. Se vc é / está gorda, tem alguma coisa errada com vc.
Tudo bem, claro que ter um corpo bonito é legal. Mas não é e nem deveria ser o mais importante, não é mesmo?
Mas é isso, esse é o nosso país: um lugar que valoriza as aparências acima de quase tudo. E, concordando plenamente com vc: o mais triste é ver as próprias mulheres se colocarem nessa posição!
Bjos, e uma ótima semana pra vc e suas duas mulheres lindas.

Edyr Augusto Proença disse...

Yúdice
Também sou contra a depilação, por todos os motivos!
Abs

Kayo César disse...

Professor, incrível!
Já conversava com alguns amigos meus a respeito dessa padrõnização feminina que é imposto por esse mundo preconceituoso e machista. É nítido que a figura da mulher submissa aos desejos do homem remonta toda uma estrutura colonialista onde a primeira e última função delas seriam apenas de máquina reprodutora! meu deus, depois de muitas mulheres morrerem naquele dia 8 de março, lutando pela autoafirmação onde elementos dessa classe, simplesmente, como se pudesse, abdicam dos direitos já garantidos.
criou-se uma padronização em Belém do Pará (falo desta terra porque é a que eu conheço) em que o cabelo(franja e loiro), a roupa (aqueles vestidos tipo tubinho, super curtos) e corpo (super malhados, ou pelo menos tentam e se enganam com falsas aparências) falam mais que noites e mais noites de estudos.
não sou contra aos homens que tenham carros legais somados a um som com volumes fortíssimos e nem muito menos a estas mulheres que optam por seguir este estilo de vida.
O que mais me deixa indignado é o fato de que essas características supracitadas se tornem os únicos ou talvez os mais importantes adjetivos de uma pessoa, aí sim, isto me deixa chateado!
(este comentário diz respeito apenas ao lado estético, desconsiderando o lado intelectual, aí a situação se agrava).
Pra ser sexy, não necessariamente têm que ser vulgar, aprendam isso!

Yúdice Andrade disse...

Meus queridos, agradeço o apoio. Sempre me preocupo se as minhas ideias serão bem entendidas e vocês me dão um alento com isso.

Luiza Duarte Leão disse...

Claro que tens meu apoio, mas fiz algumas considerações em forma de postagem! Veja lá! :D

Vinicius Moura de Avila disse...

tah certo concordo com vc é realmente lástimável o q esta bonecas midiátiacas fazem com os direitos adquiridos por verdadeiras heroínas

dê uma olhada no meu post se puder ok abraço

http://nova-revolu.blogspot.com.br/2011/08/ola-meus-queridos-leitores-e-leitoras.html
+