quarta-feira, 7 de março de 2012

Sem crucifixos

Por decisão unânime do Conselho da Magistratura, todos os prédios ligados ao Poder Judiciário do Rio Grande do Sul serão obrigados, nos próximos dias, a retirar crucifixos e todos os demais elementos religiosos de suas instalações, para não comprometer a aparência de isenção ética de suas decisões.
Católicos em fúria. E o ódio será maior ainda se souberem que o processo foi instaurado a partir de um requerimento da Liga Brasileira de Lésbicas.

Minha opinião sobre o assunto já foi amplamente apresentada aqui no blog, como se pode perceber por minhas defesas de um Estado verdadeiramente laico, em diversas postagens que podem ser encontradas através do marcador "religião". Sendo assim, noticio o fato e deixo que outros o comemorem ou arranquem os cabelos.

5 comentários:

Frederico Guerreiro disse...

Sensata decisão.
O difícil é tirar o crucifixo da cabeça das pessoas.
Por enquanto, estou em affair com as lésbicas.

Yúdice Andrade disse...

Sim, Fred, das cabeças ele não sai. Bem pensado.
Como anda o teu affair com as lésbicas?

Sandro Alex Simões disse...

Como católico, sou a favor da retirada dos crucifixos dos Tribunais. O ambiente e, não raro, indigno do simbolismo dos valores representados na Paixão de Cristo.

Marise Morbach disse...

Que decisão republicana, chega disso!

Yúdice Andrade disse...

Mas então, querido Sandro, a questão está posta em termos de o Judiciário não ser digno de um símbolo de fé de milhões de seres humanos ao redor do mundo. Compreendo perfeitamente esse comentário e sua motivação. E não discordo. Mas permanece em aberto a questão constitucional sobre o uso de símbolos religiosos em prédios públicos contrariar ou não o Estado laico.
Fossem essas instituições íntegras, serias a favor da utilização, mesmo considerando o preceito constitucional?