sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Esperando por mim

Renato Russo, sempre. Como sempre.

Acho que você não percebeu
Que o meu sorriso era sincero
Sou tão cínico às vezes

O tempo todo
Estou tentando me defender
Digam o que disserem
O mal do século é a solidão
Cada um de nós imerso em sua própria arrogância
Esperando por um pouco de afeição
Hoje não estava nada bem
Mas a tempestade me distrai
Gosto dos pingos de chuva
Dos relâmpagos e dos trovões
Hoje à tarde foi um dia bom
Saí prá caminhar com meu pai
Conversamos sobre coisas da vida
E tivemos um momento de paz
É de noite que tudo faz sentido
No silêncio eu não ouço meus gritos
E o que disserem
Meu pai sempre esteve esperando por mim
E o que disserem
Minha mãe sempre esteve esperando por mim
E o que disserem
Meus verdadeiros amigos sempre esperaram por mim
E o que disserem

Agora meu filho espera por mim
Estamos vivendo
E o que disserem os nossos dias serão para sempre.

2 comentários:

Luciana Fonseca disse...

Yúdice, também assisti o filme ontem com a Giovana. Outro ponto importante é a forma como o Gaston manipula toda a população contra o pai da Bela ou mesmo a Fera, sem que nenhum deles tenha oportunidade de se manifestar. Uma população que não pensa, não reflete. Além de todas as nossas reflexões sobre o filme, eu simplesmente adorei amigo!!!

Yúdice Andrade disse...

O filme é um excelente entretenimento, sem dúvida, Luciana. Só que acabamos não conseguindo vê-lo sem pensar em outros desdobramentos, até mesmo os jurídicos. Pena que não nos encontramos por lá.