segunda-feira, 16 de abril de 2012

Jogarei meus livros fora

A contundente declaração será cumprida se a tese defensória de Anders Behring Breivik prevalecer no tribunal que começou a julgá-lo, na Noruega. Para quem não lembra nem reconhece, Breivik é o extremista de direita que virou franco-atirador em Oslo, no dia 22.7.2011, matando 77 pessoas.
O ato terrorista teve como motivo o combate ao islamismo e ao multiculturalismo. E as 77 vítimas, claro, nada tinham a ver com isso.
A tese defensória é de legítima defesa!
Tudo bem que cada país tem a sua própria legislação, o seu próprio Direito, mas a maioria dos institutos penais são frutos de elaborações teóricas de longa data e conhecidas em todo o mundo, aplicadas com variações evidentemente, mas possuindo um núcleo comum.
Então se disserem que houve legítima defesa, terei que reaprender do zero.

6 comentários:

Marise Rocha Morbach disse...

Boa Yúdice, os fatos deixam a gente maluco. De vez em quando tenho vontade de chutar o pau da barraca. O problema é que as vezes sou eu quem a segura.

Yúdice Andrade disse...

E, em outras, nós realmente precisamos da barraca!

André Coelho disse...

Legítima defesa via ataque preemptivo: criativo, George W. Bush e Tony Blair certamente aprovariam essa tese.

Anônimo disse...

Acho que os judeus podem ser somados ao comentário do André Coelho.

Anônimo disse...

Ou, no mesmo nível da tese de defesa, aplicar-lhe a pena de morte por prevenção a uma futura liberdade provisória ou fuga, como legítima defesa preventiva.
Êta doideira.

Ab
Fred

Yúdice Andrade disse...

Das 19h24, não sei se foi porque comi banana logo cedo, mas confesso que não entendi bem o que você quis dizer. Poderia esclarecer?

No nível doideira, Fred, a sugestão foi bem criativa.