domingo, 22 de abril de 2012

Risadas

A popularização das redes sociais introduziu na minha vida um conceito novo, que não estou digerindo com facilidade. Trata-se das risadas representadas pela notação "kkkkkkkkkkkkkkk".
Gente, na boa, não consigo entender "kkkkkkkkkkkkkkk" como risada. Praticamente todas as pessoas que conheço via redes sociais registram suas risadas desse jeito. Sinto esta aflição há muito tempo, mas hoje, talvez por conta do meu estado de alma deficitário dos últimos dias, acabei criando coragem de externar. Entendam: não é uma crítica, não é um protesto; é apenas um desabafo. O "kkkkkkkkkkkkkkk" me deixa nervoso.
Sei que é apenas uma notação, do mesmo modo que os emoticons ou as reduções (hj, tb, [], bjs, etc.), mas me dá uma espécie de pilora quando me deparo com o "kkkkkkkkkkkkkkk". Admito que seja uma fraqueza minha, mas fazer o quê? A sensação é real. Pode ser reflexo da minha incompreensão, já que, para mim, desde sempre, existem três tipos de risada:

  • ahahahahahahahah: é a gargalhada, feliz, aberta e até espalhafatosa;
  • eheheheheheheheh: é uma risada mais comedida, porém ainda aberta, animada;
  • ihihihihihihihihihihih: é a risada das crianças, sobretudo das meninas.
Na Turma da Mônica, Maurício de Souza usa "quiá quiá quiá" para indicar risadas maléficas, como quando o Cebolinha elabora um plano para derrotar a dentuça. Acho divertido e já usei algumas vezes. Mas não tem quem me faça aceitar o "kkkkkkkkkkkkkkk". Não há uma explicação para isso. Não uma consciente, pelo menos. É como me perguntar por que sempre arrumo os alimentos no prato e coloco a carne na parte de cima. Não adiante me perguntar, pois não saberei explicar. É assim que organizo e pronto.
Acho que doarei meu cérebro para ser estudado pela ciência. O resto do corpo não, que essa porcaria não serve nem para isso. Mas o cérebro talvez ajude os pesquisadores a descobrir alguma coisa sobre manias, marrentices, besteiras, etc.

4 comentários:

André Coelho disse...

Bom, eu também não acho essa a melhor representação da risada. Na internet são comuns várias: (1) hahahaha, (2) rsrsrsrsrs (em que "rs" abrevi "risos"), (3) LoL (laughing out loud, ou ainda lots of laughs), (4) LMAO (Laughing my ass out), (5) ahuahuahua (que é só um jeito diferente da hahahaha). E tem o kkkkk, que tanto te incomoda, e que eu vejo como um modo de explorar o som do nome da letra k, montando uma sequência que deve ser lida como "kakakakaká", e assim, de modo abreviado, imitar novamente o hahahahaha sem necessidade de vogais. Enfim, não creio que isso vá te ajudar, mas pelo menos a mim me reconcilia racionalmente com essa representação da risada.

Marise Rocha Morbach disse...

Rsrsrsrsrsrsrs....

Anônimo disse...

Mas a onomatopeia é isso, Yúdice: reproduzir na escrita os sons, nesse caso pela proximidade fonética com a letra 'k'. A onomatopeia pode ser livre, mas deve ser eficaz em manter com o significado pretendido pelo emissor.
Posso escrever 'cácácácácácácá' ou simplesmente'rs...', quando quiser ser indiscreto ou comedido, respectivamente, e assim poderei ser entendido conforme os padrões atuais da linguagme coloquial.
Mas já que não gostas por uma questão íntima...
O que achas?

Grande abraço
Fred

Anônimo disse...

O comediante Gregório Duvivier compartilha das suas preocupações professor. Veja o link no youtube: http://www.youtube.com/watch?v=MvRx-MhkH9E