terça-feira, 13 de dezembro de 2011

A de hoje é

"Na ditadura militar se dizia: 'O país se constroi com homens e livros.' Hoje, pelo visto, se constroi com gays, kit anti-homofobia do MEC e abolindo os chinelos."

Honestamente, tenho a impressão de que o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ), quando acorda toda manhã, afofa a cabeça e se pergunta: "E aí? Qual é a grande merda que eu direi hoje?"

Não bastasse o fato de que sentir saudade da ditadura militar é coisa de retardado mental (e dos espertos que se locupletavam naqueles tempos), a manifestação apenas externaliza esse ódio que parece dominar o deputado diuturnamente, desviando a atenção do que ele realmente pretendia refutar: o projeto de lei que impede indiscriminadamente os castigos corporais contra os filhos. Diga-se de passagem, também sou contra o projeto, que considero irreal e invasivo sobre o âmbito privado das famílias. Mas se todos os que forem contra uma ideia abrirem a boca para bostejar, essas ideias vão acabar aprovadas.

Sobrou para Monteiro Lobato, autor da frase invocada na infeliz expressão do deputado maluquinho.

7 comentários:

Luiza Duarte Leão disse...

É, meu amigo, mas ele tem tantos adeptos que dá vontade até de mudar pra Marte.

Yúdice Andrade disse...

Isso não me surpreende, Luiza. Em vida, Jesus só teve 12 apóstolos. Mas qualquer ex-BBB tem milhares e milhares de seguidores no Twitter. O mal sempre foi mais sedutor.

Anônimo disse...

Citou bem, então, porque o Monteiro Lobato era bem racista. Não digo nem do politicamente correto sobre a tianastácia, mas sobre a simpatia dele com a ku klux klan. Nos tempos da revolução democrática, realmente se investiu no ensino público, o que se vê tão defasado hoje em dia. Ele tem razão, portanto, duas vezes.

André Coelho disse...

Adoro Trolls e sua necessidade desmedida de causar polêmicas e ganhar atenção, tudo em anonimato, claro.

Gostaria de ver uma versão desenvolvida do seu argumento contra o projeto de lei em questão, meu querido.

Lilica disse...

Esse cidadão tem sérias dificuldades em lidar com a sua própria sexualidade, principalmente no que diz respeito ao seu desejo incontido por pessoas do mesmo sexo. Os mecanismos de defesa mais presente nas falas e atitudes deles, são: a NEGAÇÃO e a FORMAÇÃO REATIVA. Deputado, vá agora pro divã!!!

Luiza Duarte Leão disse...

Yúdice, como eu estava dizendo, tens alguma outra preferência planetária? Esse aqui, olha, é complicado.

Yúdice Andrade disse...

Das 12h33, também tenho minhas reservas a Monteiro Lobato. Que me conste, quando político, foi ele o responsável pela lei que tornou o serviço militar obrigatório. Não o perdoo por isso. E não acho correto endeusar o cara, só porque foi um bom escritor. Uma coisa não elimina a outra.

Tenho aprendido a lidar com eles, André. Por isso tenho evitado lhes dar atenção.
Quando ao teu pedido, assim que estiver mais livre quero escrever a respeito. Mas admito que também estou no aguardo da tramitação do projeto no Senado, porque o texto pode sofrer alterações.

Nada como uma profissional do ramo da Psicologia para chegar a uma constatação dessas, Lilica.

Tenho uma simpatia por Júpiter, Luiza. Qualquer dia te explico o motivo.