sexta-feira, 3 de junho de 2011

Espírito doméstico

Dia desses decidi que seguiria três blogs de jornalistas brasileiros famosos. Os blogs, de fato, merecem atenção, mas assim que os incluí detectei uma consequência inconveniente: como os autores são jornalistas profissionais e escrevem em profusão, passaram a dominar o meu quadro de atualizações. Isso me incomodou porque precisava passar por dezenas de postagens profissionais para encontrar alguma de blogueiros como eu, domésticos, que escrevem de vez em quando e apenas por prazer.
Suportei um tempo, mas hoje, aproveitando uma folga, deixei de seguir os referidos blogs. Volto a ser seguidor público apenas de blogs de pessoas amigas, incluindo aí aqueles com os quais cruzei na própria blogosfera. Alguns dentre eles não têm a menor ideia da minha existência no mundo, mas os sigo porque seus textos e ideias me agradam.
Sempre fui apegado às pessoas de que gosto. Não me apraz impessoalizar o meu próprio blog. Prefiro acessá-lo e me deparar somente com a Luiza, o Fernando, o Antônio, o Adrian, os colegas de Flanar e outros que realmente me conhecem, nem que seja apenas virtualmente. Mas em relação aos quais há sentimentos reais.
Enfim, gosto mesmo é da minha gente.

3 comentários:

Adrian Barbosa e Silva disse...

Eu estou com aquele sentimento, embutido em minha mente - e principalmente no meu coração -, que diz que qualquer coisa que construímos em vida, a exemplo de uma carreira, de estruturas arquitetônicas (verdadeiras maravilhas), do (auto)conhecimento, não é nada se não puder ser compartilhada com as pessoas que amamos.
Ninguém pode ser feliz sem ter alguém ao lado estimulando, acariciando, respeitando, criticando, elogiando, etc, ou seja, simplesmente participando de suas experiências. Sem alguém, a vida parece não ter sentido.
Ninguém pode ser feliz sem essas pessoas; pelo menos, eu não consigo.
Neste contexto, a família - sem sombra de dúvida - se põe em primeiro lugar, então logo, os verdadeiros amigos, que nada mais são que um informal e elastizado conceito de família.

É bom saber que sou bem-vindo. Saiba que é recíproco o carinho, meu amigo.

Luiza Duarte Leão disse...

Mas essa Luiza, tem muitas atualizações dela, tem? Hehe Obrigada pela menção, querido. Sempre fico feliz, ainda que não seja merecedora, atualmente.

Yúdice Andrade disse...

Vocês são de casa todo dia, meus queridos. Não importa o que aconteça.