sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Sub-liminar e espontâneo

Esta eu presenciei.
Ao ver na Internet a notícia do confronto entre um pai e uma mãe de estudantes que estariam envolvidos em um processo de bullying, sendo que o homem espancou covardemente a mulher, em público, o rapaz soltou esta:

"Égua, ele bateu numa mulher que nem era a dele!"

A estupefação tomou conta da sala. Começamos a ponderar que a frase não tinha sido lá muito feliz. Perguntei se bater na mulher dele não seria um problema, então. Para se defender, o rapaz emendou assim:

"Não sendo mulher dele, é pior, né?"

Cai o pano.

3 comentários:

Aline disse...

Kkkkkkkkk... Estou rindo porque, de tão ridícula e absurda, situação chega a ser quase cômica... Já chegamos num ponto em que só rindo....
Aline Bentes.

Ana Miranda disse...

Juro, nem sei se é politicamente correto isso, mas eu só consegui rir desse comentário.
Juro de novo, não me deu nem raiva. Sério.
Juro mais uma vez, vou mandar esse cara para a PQP.
Com todo respeito, é claro, com seu blog, caríssimo Yúdeice!!!

Yúdice Andrade disse...

Verdade, Aline. Eu tive que rir. Por pouco não classifiquei a postagem no marcador "humor".

Podes mandar, Ana. Ele merece. E vai entender.