quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

As palavras do general

Primeiro você lê aqui.
Agora a minha questão: Quer dizer, general Enzo Peri, que as diatribes do seu colega Maynard de Santa Rosa são apenas opiniões particulares, externadas em "correspondência pessoal, indevidamente propagada pela internet"?
Veja que o seu colega não era nenhum soldado raso, que não manda em ninguém, só obedece. Trata-se de um general, então lotado numa função que lhe dava visibilidade perante a corporação. Um homem influente. Se é assim que os homens influentes das Forças Armadas pensam e agem por baixo dos panos, o que mais deveríamos temer, se as suas correspondências pessoais não resvalassem para o conhecimento público?
Diga-nos, general: como pensam os grandes homens das Forças Armadas brasileiras, hoje encurralados pelos ares democráticos e pela vigilância dos mais diversos setores da sociedade, situação a que não estão acostumados e com que não se conformam? O que diriam, se não fossem forçados a vestir a capa do politicamente correto?
Diga-nos, general: o que precisamos saber?
.

Um comentário:

Val-André Mutran disse...

Não perca seu tampo Yúdice.
Ele vai alegar que se responder, quebra, arrebenta, será estuprado pelo Estatuto que tanto ama: o da Corparação e seu corporativismo.
Se brincar, esse papelucho, para ele, tem mais valor que a Constituição que jurou respeitar.