sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Ele continua o mesmo!

Fazia tempo que eu não falava do Moviecom, aquela desgraça que hoje monopoliza as salas de exibição em Belém.
Ontem, fui ver Sherlock Holmes no Pátio Belém e encarei a sala 5. E o que me foi oferecido? O padrão de qualidade Moviecom, claro! Sala quente e abafada (a refrigeração era insuficiente, como sempre) e o som estava uma merda porcaria, como sempre. Muito ruim, mesmo. Sabe quando você está gripado e escuta por um só canal de som? Era mais ou menos assim.
Gostei do filme, mas vivi o paradoxo de desejar que ele acabasse logo, para me livrar daquele som antinatural e irritante.
E, como sempre, não temos a quem reclamar, nem adiantaria se o fizéssemos.
Lembremos que, em junho (até segunda ordem), serão inaugurados os cinemas Cinépolis, no Boulevard Shopping, reinstituindo a concorrência nesse mercado. Uma concorrência desproporcional em número de salas, mas será ótimo ver essa empresinha ordinária, que nos atende tão porcamente, sofrendo a crítica e a rejeição do público, quando tiver termo de comparação e alternativas.
.

3 comentários:

Frederico Guerreiro disse...

Yúdice, depois do DVD, ir ao cinema para mim se tornou coisa raríssima. A uma porque minhas experiências com o Moviecom também não foram das melhores (ar-condicionado insuficiente, gente comentando o filme na poltrona de trás, ruído de gente comendo batata Chips e amassando a embalagem etc.). A duas porque na minha casa posso comer uma pipoca muito mais gostosa - muita pipoca dentro de uma bacia e posso interromper o filme para pegar um guaraná bem gelado.
Acho que a última vez que eu fui ao cinema (aquela coisa no Castanheira) foi para levar minha filha para assistir ao Scooby Doo, há uns seis ou sete anos.
Ademais, sofro de agorafobia.
Meu "home-titi" é bem melhor.

Yúdice Andrade disse...

Mas eu gosto de cinema, Fred! Digo: de estar no cinema, no escurinho, de ver as luzes se apagarem e de todo o clima envolvido. Filmes como "Cinema Paradiso" retratam essa paixão integral, que perpassa todo o processo de sair decasa e que, admito, torna-se cada vez mais difícil nos dias atuais. Tendo que enfrentar um Moviecom, não há paixão que resista!
Tenho ido muito pouco, mas não deixo de ir. Se o cinema prestasse, seria um grande prazer.

Sakura-chan disse...

Ir no cinema é show!!!! é muito mais emocionante do que na tv ou no pc! Pena que o Moviecom tá uma tristeza mesmo!Aguardando a concorrência!