terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Um pouco de inspiração

O dia de hoje não está favorável a postagens. Enquanto o tempo não permite, valorizemos um pouco os esforços que valem a pena.
.

7 comentários:

Tanto disse...

Amigo, amigo, amigo! Achei que você soubesse do bloguinho! Desculpe não ter avisado, mas realmente achei isso.

Vou colocar o mapa da Barraca da Carme para ti, lá no Blog, e te aviso.

Abraços.

Tanto disse...

E tem mais: vou seguir tua sugestão e ignorar o meu personal sociopata!

Yúdice Andrade disse...

É a melhor coisa que fazes, Fernando. Eu batia boca com os meus perseguidores, mas acabei me convencendo das razões expostas pelo Francisco Rocha Júnior, meu colega de Flanar, e parei. Foi a melhor coisa.
Como em toda resposta a comportamentos aversivos, a primeira atitude do agressor é redobrar o comportamento. Ele passa a comentar sobre tudo, falando mal até a cor azul do céu, se dissermos que gostamos dela. Isso dura alguns dias, depois passa. Ele some por uns tempos. De vez em quando, volta. Deixa dois ou três bostejos e some de novo.
No final do ano passado, lidei de novo com um dos meus. Estou em paz há mais de um mês. E assim vamos levando. É o ônus de manter um blog. Um pequeno inconveniente que não deve comprometer o nosso prazer de blogar.
Ignora-o, Fernando. Completamente. Não faças nem a mais indireta menção a ele. A paz voltará a reinar e ainda poderás usufruir do desassossego do cara, privado da capacidade de te fazer o mal.
Abraço.

Liandro Faro disse...

Para um pouco de inspiração!

http://oglobo.globo.com/blogs/moreira/posts/2010/02/10/milionario-se-desfaz-de-fortuna-porque-se-sente-infeliz-culpado-265076.asp

Abração

Yúdice Andrade disse...

Um sujeito muito corajoso, Liandro. Confesso que não faria a mesma coisa.

Sakura-chan disse...

Esse G1 esqueceu de me entrevistar! poxa....
Euzinha, filha de uma empregada doméstica e de um feirante cursando Direito, que suava durante 15 horas diárias diante dos livros para poder entrar na faculdade! oooohhhh

Yúdice Andrade disse...

O G1 não veria uma pessoa aqui neste pedaço de Brasil. Mas provavelmente também conhecemos histórias que mereceriam ser contadas.