sábado, 23 de janeiro de 2010

Educação de casa vai à rua

Eis aí uma lição dos antigos, bastante verdadeira. Pensando nela é que lamento dizer aos proprietários do Boulevard Shopping que, a despeito de todo o seu esforço por nos oferecer o mais bonito e sofisticado empreendimento do gênero na cidade, lá dentro dos reservados do banheiro, onde não há câmeras, quem é podre continua se quebrando. Veja:
.
Ruim para o povo do Tapanã, periferia da cidade, que teve seu nome rabiscado na parede. Assim, por mais que queiramos romper o estigma das diferenças de classes, com atitudes como esta, reforça-se o ciclo de discriminação contra os moradores de bairros pobres, todos eles, que continuarão sendo discriminados, ao exercer o seu direito de passear por espaços pensados para os endinheirados da cidade.
Alguém terá dado motivos para tanto.
.

2 comentários:

Leo Nóvoa disse...

Ai professor, isso é triste, e muito. Acho que talvez seja o símbolo da pseudo-marginalidade (ou o que quer que seja) que povoa a mente da juventude brasileira: pichação.
Abraço

Vlad disse...

Yúdice,
lembrei de um post seu outro dia. Estava no dito shopping e vi o tal de banheiro teen. Tentei entrar e fui barrado! Huahuauhahuahua. Tá... Não tenho cara de teen faz tempo! Mas o que será que os teens fazem lá dentro que os adultos não podem ver? E outra dúvida me restou, já que não pude nem chegar perto: é um banheiro teen mix ou tem um feminino e outro masculino? A depender das últimas participações em vídeo da nossa terrinha na internet, seria salutar que houvesse algum controle paterno nesses banheiros teen. :^)
Abraços,
Vlad.