terça-feira, 19 de janeiro de 2010

O adormecer

O aniversário do primo a fez ir para a cama mais tarde do que o habitual. Tomou banho, foi arrumada e, ao ganhar meu beijo de boa noite, pediu que eu me deitasse também, tocando o colchão com a mãozinha. Eu ainda precisava me desfazer das coisas que carregava, por isso saí e voltei após alguns minutos. Quando me deitei, ela se desencostou da mãe e rolou na minha direção, vindo aninhar-se juntinho a mim, onde finalmente adormeceu.
Ah, os pequenos e insuperáveis pequenos prazeres da vida!!!

3 comentários:

Ana Miranda disse...

Lindo!!!!!!!!!!!!
Que delícia!!!!!!
Mas não se preocupe, muitos outros virão!!!
Eh...eh...eh... se bem que, hoje, quando me jogo em cima dos meus filhos, eles ficam me empurrando da cama...
É um tal de "Para mãe, deixa-me dormir, sai daqui"...

Cléoson Barreto disse...

Olá!
Existem coisas que dinheiro algum no mundo pagariam. Este é um excelente exemplo!
Um abraço.

Yúdice Andrade disse...

E eu quero aproveitar todos, Ana! Todos os possíveis, é claro. A rotina de trabalho sempre compromete essas possibilidades, inclusive porque leciono à noite, ou seja, durante o semestre letivo não posso colocar minha filha para dormir. :(((

Graças a Deus, Cléoson. Já pensaste se me cobrassem por isso! Felizmente, é de graça!