quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Que bom que eu sei

Saibam todos que, por força da Lei n. 12.206, de 19.1.2010, 25 de novembro é o Dia Nacional da Baiana de Acarajé (assim mesmo, com letras maiúsculas).
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Você está se perguntando por que eu fiz esta postagem? Você não sabe qual a importância do fato?
Pois é. Nem eu.
.

4 comentários:

Anônimo disse...

ah Yúdice...
eu addoooooroooo um bom acarajé e de preferência comendo um lá em Itapuã, mais aí eu volto pra Belém doida pra tomar o nosso tacacá, fervendo e de preferência com aquele calorzão, hahahahahaha.
bjs
anna lins
p.s: na última semana até o dia 30 estou atolada de trabalho e sem poder dar uma passadinha aqui com frequencia, volto assim que puder.

Cléoson Barreto disse...

Olá!
Sinceramente não sei como pude viver até hoje sem essa informação!! Bom saber que nossos legisladores estão bastante ocupados resgatando essas informações para todos nós! :-)
Um abraço "acarajeano"!

citadinokane disse...

Yúdice,
Cuidado! Fica mexendo com as baianas... êpa! Por acaso são as baianas de acarajé? Meudeusdocéu! Deixa eu bater em retirada, a vingança delas é "maligrina"...
Tchau!

Yúdice Andrade disse...

Anna, pessoalmente não gosto de acarajé. Provei e não gostei daquela massa de feijão, do excesso de mistura no recheio e do sabor do vatapá baiano. Mas isso não vem ao caso. Degustar um acarajé deve ser excelente para quem gosta. Fazê-lo in loco, então, deve ser espetacular.
Que tal exigirmos a instituição do Dia Nacional da Tacacazeira? É tão típico e tradicional quanto. E o tacacá, infinitamente mais gostoso.

Felizmente, Cléoson, o blog te ajudou a prosseguir vivendo! Um abraço com bastante azeite de dendê.

Pedro, meu amigo, o meu corpo é fechado! Nem mandinga feita nas encruzilhadas de Belém, com ervas do Ver-o-Peso, me atingem! Mas agradeço a preocupação.