sábado, 30 de julho de 2011

Imbecilidade à brasileira

A tarde de hoje foi reservada para o sorteio dos grupos da copa do mundo de 2014 (só depois eu soube que o sorteio era dos grupos das eliminatórias do copa, ou seja, uma besteira ainda maior). Surpreendeu-me a antecedência (entendi melhor, tratando-se das eliminatórias), mas esses porcarias devem ter lá os seus motivos — todos ligados a dinheiro, claro — para a pressa. No entanto, o que mais me chamou a atenção foi o fato de que, sendo o Rio de Janeiro supostamente a cidade mais linda do país, o evento poderia ser realizado em qualquer lugar, não necessariamente na Marina da Glória, se para tanto as implicações fosse tão graves, como de fato foram.
Com efeito, a fim de que a imprensa do mundo todo pudesse transmitir o tal primeiro grande evento da copa de 2014, foi preciso determinar o fechamento do Aeroporto Santos Dumont entre 14 e 18 horas, causando transtornos imensos aos passageiros, aos profissionais do setor e às companhias aéreas, tanto daquele aeroporto quanto do Antônio Carlos Jobim, antigo Galeão, para onde os voos foram recambiados. E tudo isso para o barulho das aeronaves não prejudicar o trabalho da imprensa...
Quero saber se a imprensa do Brasil se dará ao trabalho de mostrar as consequências da palhaçada ou se mostrará apenas o ufanismo dos brasileiros lesos, como um taxista entrevistado por um telejornal que vi mais cedo, o qual aposta no sucesso da copa porque, e apenas porque, brasileiro é louco por futebol. Então tá.
Todo santo dia, milhares de brasileiros fazem idiotices por causa de futebol. Por que hoje seria diferente?
A propósito, quando consultada sobre os transtornos causados pelo fechamento do Santos Dumont, a CBF respondeu que a INFRAERO concordara com a medida. Simples assim. Lembro, contudo, que essa empresa pública é gestora dos aeroportos brasileiros, e não dona deles. Donos somos todos nós, contribuintes, inclusive aqueles atingidos pelo desvio de seus voos.
Mas, enfim, o Rio de Janeiro também é um pouquinho de Brasil, ai, ai. Não interessa o bom senso, só o pão e o circo, mesmo que para o brasileiro reste apenas o circo, já que o pão mesmo vai para bolsos certos.

Acréscimo às 23h14:
A Uol não escondeu os problemas. A sacanagem é maior do que eu pensava e está claro que haverá muita cortina de fumaça em torno do assunto. Afinal de contas, uma empresa ligada à Rede Globo embolsou 30 milhões de reais. De dinheiro público.

7 comentários:

Ana Miranda disse...

E isso sem falar nos 30 milhões gastos com essa palhaçada.

Perdoem-me os amantes do futebol, mas mesmo se eu gostasse do mesmo, continuaria achando um preço absurdamente alto para uma "festa"...

Aliás, festa essa que, nós, os pagadores, não tivemos o direito de participar.

Yúdice Andrade disse...

Se eu me lembrar dos custos, Ana, vou passar mal.

Gabriel Parente disse...

A Copa do Mundo de 2014 não será do Brasil - ou dos brasileiros. Ela será da Rede Globo e do ilustríssimo senhor Ricardo Teixeira. Esse evento que falaste serviu apenas pra eles ganharem dinheiro. A Rede Globo estava pouco interessada no sorteio em si, tanto que, na hora da escolha dos grupos da CONCACAF (América do Norte, Central e Caribe), ela ignorou o mesmo e decidiu passar uma reportagem que lhe pareceu mais adequada ao momento, já que é irrelevante para os seus lucros saber qual será o grupo de Trinidad & Tobago.
Enfim, essa Copa vai ser um fiasco, porque na hora não vai dar para esconder os absurdos que acontecem aqui.

Ana Manuela disse...

É um absurdo, mesmo, que esse tipo de evento traga tantos aborrecimentos. E é claro que essas coisas nunca serão noticiadas.

Cultura (?) Inútil: o sorteio não foi dos grupos da copa, e sim dos grupos - nos casos de haver grupos - pras eliminatórias por continente, que classificarão as seleções pta Copa.

Anônimo disse...

Calma isso e só o começo ainda teremos tres anos de Copa do Mundo enfiados goela abaixo e mais dos anos de Olimpiadas.

BRASIL,IL,IL ,IL ,IL ,IL.

Victor Picanço disse...

Concordo com o texto. Só um detalhe a corrigir: o sorteio, na verdade, não era dos grupos da Copa, mas das Eliminatórias (!!!), o que, ao menos pra mim, torna o evento mais irrelevante ainda.

Yúdice Andrade disse...

Tudo que tenho visto nos últimos dias parece confirmar as tuas palavras, Gabriel. Mesmo não me interessando por futebol, a exploração maciça do caso pela mídia me leva a ver o que está ocorrendo. É a Globo voltando a sua velha forma...

Ana Manuela e Victor, eu nem sabia a diferença do que vocês me alertaram. Só depois fui entender e, sim, isso torna tudo muito pior.

Das 11h02, de fato, teremos que aturar muito falatório e falso ufanismo em torno disso.