terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Aderi

Outro dia, publiquei uma postagem sobre o Facebook como moda do momento, em termos de redes sociais. E ela rendeu uma manifestação do André Coelho, também publicada com destaque, em cuja caixa de comentários tivemos um debatezinho sobre reconhecer as pessoas como nossos iguais. Lá, o André e a Luiza Leão me conclamaram a aderir à criação de Mark Zuckerberg. Ontem à noite, por fim, capitulei. Estava em casa, desacelerando para dormir, e resolvi aceitar o convite que me fora formalizado dias atrás pelo Paulo Klautau.
Agora sou dono de um perfil no Facebook, com quatro amigos: o Klautau, a quem respondi, minha esposa e os dois amigos supranominados. Foram os únicos a quem procurei. E até ulterior deliberação, não pretendo convidar mais ninguém. Encaro isso como uma espécie de experiência psicológica. Quero ver quanto tempo demorará para alcançar uma quantidade de amigos equivalente a do Orkut (seiscentos e qualquer coisa). E ver como se dá esse processo de encontros virtuais. Na verdade, mesmo no Orkut, foram raras as pessoas que convidei; a esmagadora maioria teve a gentileza de vir até mim. Agindo de maneira parecida, quero saber se o processo de expansão na rede será semelhante ou se terá contornos próprios. Afinal, anos se passaram e a ferramenta tem umas funcionalidades diferentes.
Hoje à noite, vamos às primeiras análises. Se houver o que analisar.

4 comentários:

caio disse...

Bem vindo! Já fui lá! :)

Luiza Duarte Leão disse...

Então, pessoas, adicionem o Yúdice e interajam, para que ele se anime com a rede e permaneça. Grata.

Yúdice Andrade disse...

Caio e Luiza, fico feliz em tê-los como amigos (também) virtuais. Vamos ver como fluem as relações no FB. Se virão as mesmas pessoas que já me adicionaram no Orkut, se virão outras, com que perfil, etc.

Anônimo disse...

Há muito, muito tempo deixei o porkut. Hoje uso somente esta. Espero encontrar-lhe, Yúdice… se é que permitirás ter-me em sua lista virtual.

Alexandre