terça-feira, 21 de setembro de 2010

Cada um que viva a sua vida

Acerca da postagem "Desrespeito à intimidade", um pouco mais abaixo, o leitor que se assina Kenneth Fleming nos deixa esta valiosa contribuição:

Ainda que a pesquisa tenha mostrado 56% a favor, vejo com preocupação os 43% que se manifestaram contrários.

Tenho pra mim que os direitos da minoria não devem, jamais, ser arbitrados pela maioria. Assim, não adianta esperar que o Congresso Nacional, recheado de parlamentares dos mais diversos credos, resolva essas questões.
Acho o nosso Judiciário extremamente conservador nas suas decisões, ainda que , no mais das vezes embasadas estritamente nos preceitos legais(conservadores) ditados pelo Legislativo. Mas é dele, Judiciário, que têm vindo os avanços nessas áreas dos direitos das minorias.
Lembram do projeto de lei da Marta Suplicy, de 1.995? Ainda dormita em alguma gaveta na Câmara dos Deputados, embargado pelos pudores de pastores, padres, bispos, homofóbicos disfarçados, etc. Mas hoje não faz mais falta, haja vista que as decisões judiciais têm suprido a ausência da legislação específica. Felizmente.
Um casal que se une em relação homoafetiva, por exemplo ou um transexual que altera o seu nome. No que interferirão na vida da Dona Candinha? Ela deixará de ter seus direitos assegurados? Ela deixará de parir os filhos que desejar? Ela deixará de nominar seus filhos com os nomes que quiser, por mais estapafúrdios que sejam? Ela tornar-se-a uma lésbica ou um transexual por conhecer ou cruzar na rua com esse casal ou esse cidadão transexual? Claro que não.
Assim, àqueles que se incomodam com tais situações: tomem seu rumo, combatam os maus políticos, os maus cidadãos , e deixem que cada qual viva a sua vida, ao seu gosto. Eles não atrapalharão em nada os demais. Muito pelo contrário. Farão a humanidade crescer, se dignificar.

6 comentários:

Aline disse...

Kenneth é um grande amigo, pessoa das mais inteligentes, humanas e competentes que conheço. Vindo dele, só podia vir um comentário maduro e sagaz como esse.
Parabéns, e um beijo pra vc, Kenneth!
E Yúdice, o bebê está ótimo. Saltitante, serelepe e fazendo estripulias na barriga da mãe!!!! Mts risos...
Bjos!
Aline Bentes.

Luiza Montenegro Duarte disse...

Adorei as palavras do comentarista. É exatamente o que eu penso a respeito e por isso não consigo entender a razão para as pessoas se importarem tanto. Sinto-me tentada a reproduzir a manifestação no blog!

Ana Miranda disse...

Exatamente isso!!!!
Opção sexual é tão somente a escolha que tenho para levar para minha cama a pessoa com a qual eu quero fazer sexo e talvez, constituir uma família.
Ser um casal homo ou hétero, em nada interferirá no caráter dos envolvidos.

Anônimo disse...

Eu juro que não paguei nem uma tijelinha de açai pra nossa futura mamãe, pelos gentis comentários!!!!

Kenneth

Yúdice Andrade disse...

Só me ficou a grande vontade de conhecê-lo pessoalmente, Aline. Espero que a oportunidade surja antes da festa de primeiro aniversário do teu bebê, para a qual, como vês, acabei de me convidar.

Luiza, podes reproduzir o quanto quiseres. A casa é tua.

Isso deveria parecer a todos, Ana. Mas frequentemente a humanidade dá mostras de violação a regras elementares da evolução.

Mas a amizade é isso, Kenneth: entrega gratuita!

@ritahelenafer disse...

Clap, clap, clap, ainda que com atraso!

Não consigo me conformar com a idéia de pessoas discutindo se posso ou não viver com quem amo.

Abraços, Yúdice!