terça-feira, 21 de setembro de 2010

Cinema brasileiro em 2010

Neste ano de 2010, cujo nono mês já se inclina para o encerramento, os dez filmes de maior bilheteria no Brasil são os que constam da lista abaixo:

1. “Avatar”: 9.108.400 espectadores
2. “Shrek para sempre”: 7.361.200
3. “Eclipse”: 6.306.100
4. “Alvim e os esquilos 2”: 5.153.700
5. “Alice no País das Maravilhas”: 4.334.900
6. “Toy story 3”: 4.293.700
7. “Chico Xavier”: 3.414.900
8. “Homem de Ferro 2”: 3.228.500
9. “Fúria de titãs”: 2.500.800
10. “Nosso lar”: 2.497.700

À exceção de Alvin e os esquilos 2, cuja presença na lista me surpreende (decerto que o fato de ser um filme infantil, atraindo crianças e respectivos acompanhantes, ajudou bastante essa turbinada), veja-se que os filmes estrangeiros listados são todos classificáveis como blockbusters, sem dúvida alguma concebidos desde o projeto original para arrasar quarteirões. Mas eis que dois brasileiros entraram no elenco, tendo em comum a temática espírita que, como sabem até mesmo os mais ferrenhos ateus, arrebanha multidões para a frente das telinhas e das telonas.
De todos os filmes listados, Nosso Lar é o único que segue em exibição, de modo que a expectativa é que ele suba algumas posições no ranking. Todos sabemos que a pretensão dos produtores é fazer dele um sucesso de público ainda maior do que Chico Xavier.
Por fim, considerando que a indústria cinematográfica brasileira produz apenas uma modesta fração do que Hollywood & cia. despejam sobre nós, dois títulos numa lista de dez é um desempenho valioso.
Seja como for, 2010 ainda tem três meses inteiros pela frente. E no dia 8 de outubro estreará Tropa de elite 2, que reúne todos os predicados para encontrar um lugarzinho na lista definitiva dos dez mais deste ano.

Fonte: blog do Artur Xexéo.

2 comentários:

Aline disse...

Não por acaso, assisti semana passada a "Chico Xavier", que me impressionou bastante, não apenas pela história (que, a par da questão espírita, demonstra ser de um homem que dedicou sua vida a fazer o bem) como pela qualidade áudio-visual da película. Cenas lindas. Entretenimento garantido.
Abraços,
Aline Bentes.

Ana Miranda disse...

Depois que meu filho mudou-se para São Paulo, ele que é o cinéfilo da família, eu nunca mais fui ao cinema...
Não vi nenhum desses filmes.