quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

A força do espírito

Fiquei muito decepcionado com José Alencar devido a sua recusa em reconhecer a filha que teve fora do casamento. Até esse episódio, sempre tive por ele imensa admiração, seja por sua postura como empresário, seja pelo motivo principal da presença de espírito em relação a sua doença.
Internado desde 22 de dezembro e sofrendo sucessivas complicações, Alencar foi fotografado assim, no hospital, com esse sorriso aberto, sincero. Não tenho como deixar de admirá-lo, sobretudo pelo reconhecimento de que eu jamais, jamais conseguiria chegar a quilômetros de distância de toda essa força.
Ao menos nesse particular, eu o tenho como um grande exemplo para todos nós.

3 comentários:

Frederico Guerreiro disse...

Mas foi isso mesmo, Yúdice. Ao ser entrevistado no Programa do Jô, José Alencar saiu-se com essa: "como eu posso reconhecer uma pessoa que eu nunca vi na vida?". Deve ter sido um sintoma da doença dele.
Fosse eu o filho querendo reconhecimento, pode apostar que, depois de uma dessa, eu o faria somente por dinheiro, e ainda assim torcendo para não ganhá-lo.

Yúdice Andrade disse...

As entrevistas deles sobre o assunto também foram desagradáveis.
Sempre podemos lembrá-lo de que ele conheceria essa pessoa, se tivesse se ocupado disso em tempo hábil. E se jamais houvesse sabido de sua existência, ao tomar conhecimento, poderia ao menos se interessar em esclarecer logo a verdade, confirmar ou eliminar de vez a paternidade.
Quanto ao aspecto sentimental, não teria a ousadia de sugerir como ele deveria sentir-se em relação a um filho que despencasse de paraquedas em sua vida. Mas tenho uma opinião muito clara quanto ao que seria certo fazer.

Luiza Duarte Leão disse...

Até porque, o filho não cai de para-quedas por opção.
De qualquer forma, é impossível não admirar e torcer por Alencar, mesmo com essa mancha imperdoável em sua biografia.