quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Por um mundo sem escudos

Para entender, clique aqui.

Acréscimo em 28.1.2011:
Não me surpreende que a rede de supermercados tenha amarelado.

7 comentários:

Anônimo disse...

Desnecessário dizer quem é o pai…

Alexandre

Anônimo disse...

Yúdice,

eu não diria nem que isso seria uma atitude preconceituosa, mas hipócrita. Enfim, é uma família constituída com a chegada de um filho, tendo agora pela frente novos desafios para superar inerentes a própria paternidade.

Enquanto isso, como diria o site kibeloco, em um site de um conglomerado qualquer:
http://bbb.globo.com/noticias/noticia/2011/01/o-ataque-das-sisters-cristiano-continua.html
http://bbb.globo.com/noticias/noticia/2011/01/diana-e-michelly-tambem-se-beijam.html
http://bbb.globo.com/resumo-da-noite/noticia/2011/01/primeiro-show-do-bbb11-bruno-e-marrone-abrem-noite-de-muita-pegacao.html

Acho que dispensa comentários, sendo fácil perceber os valores "censurados" e aqueles "tolerados" (para não dizer apreciados) por aí.

Grande abraço,

Vitor Martins Dias

caio disse...

Sendo proibido de ver é que eu me atiçaria a tentar descobrir do que se tratava! Hehe. Sempre fui assim. Falo por mim, lógico. Mas creio que não seriam poucos os outros a sentirem o mesmo.

Yúdice Andrade disse...

São as novas famílias, Alexandre. Um desafio para o século XXI, inclusive para o Direito.

Vítor, Elton John e seu companheiro não precisavam de um bebê em suas vidas a essa altura do campeonato. Ou seja, se adotaram um, foi porque quiseram, porque se disponibilizaram a esse singular ato de amor e de doação que é a adoção. Somente por isso, o menino já conta com a oportunidade de ter uma família mais amorosa e ajustada do que muita gente por aí possui. Eu mesmo não tive uma família assim.
Quanto à crítica sobre os dois pesoas e as duas medidas, estou de pleno acordo. Tudo depende do que é vendável, mas vale lembrar que a loja censora está na contramão até mesmo desse tipo de comportamento.

Anônimo disse...

Família? Sinto saudades da época em que família possuía uma conotação diferente. Acho que estou ficando velho…

Alexandre

Luiza Duarte Leão disse...

Enquanto uma foto cheia de ternura, de duas pessoas que voluntariamente deram a uma criança a oportunidade de ter uma família é "protegida", as bancas estão cheias de capas com mulheres e homens nus, em poses que elas só deveriam fazer entre quatro paredes.

Anônimo disse...

Yúdice,

acho que por não querer escrever muito, acabei me expressando mal. Desculpe. Não é que a família se constituiu só agora, mas que com a chegada dessa criança eles devem estar vivendo uma etapa diferenciada da vida, que só uma criança traz. Acontece que, ao invés de isso ser enaltecido, foi suprimido.

Acho que pude me explicar um pouco melhor agora. Torçamos para que a criança receba tudo aquilo necessário para o seu bom desenvolvimento e muito mais.

Concordo com você quanto à loja estar indo no sentido contrário da maré, quanto a essa questão, o autor da tarja que tente resolver.

Abs,

Vitor