sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Seu suave adormecer

Por variadas razões, penso que este ano será muito significativo no quesito família. Creio estar num momento de grande reflexão, retomada de valores, rememoração do passado, prognósticos, requalificação. E se o tema é família, não há como deixar de pensar, antes de tudo, na pequena Júlia.
Acabei de fazê-la dormir. Seu dia hoje foi bastante agitado, devido à visita de uma família amiga. Não dormiu o dia todo e já imaginávamos que adormeceria com facilidade, ao contrário das últimas noites, que forem bem complicadas. E lá estava, com aquela pele cheirosa recém saída do banho (não que ela precise de banho para cheirar bem), depois de sorrir e de abraçar, aninhada sobre o colchão. Chegou a pedir "uma historinha" — sua obsessão —, mas ao se deitar já nem tinha mais forças para prestar atenção. Perguntei se queria uma canção e me respondeu debilmente: "eu quero".
Cantei-lhe três. Não que continuasse ouvindo. Eu estava consciente de que já cantava para mim mesmo, pelo prazer de fazer algo por ela, ali, acalentado por seu corpinho e sua presença. Deixei para o final a canção que elegi em sua homenagem, que lhe cantava quando ainda no ventre materno. E até me surpreendi ao constatar que lá estava o Toquinho de novo.
Há coisas maravilhosas simplesmente porque existem e estão ao nosso alcance. Fazer esta criança adormecer é uma delas. Às vezes dá vontade de que o tempo não passe. Mas, no fundo, sabemos que a vida não valeria a pena se ele não passasse.

3 comentários:

Ana Miranda disse...

Toquinho é o 2º ídolo mor da minha filha, (o 1º, unanimidade aqui em casa, é o grande João Gilberto) ela já foi a muitos shows dele, mas até hoje chora quando ele entra no palco.
Meus filhos também cresceram ouvindo Toquinho e Vinicius e até hoje são fãs deles.
Vá por mim, caro Yúdice, nossos filhos são muito mais queridos quando crescem.
Adoro os meus muito mais hoje do que quando ambos eram crianças.
E o assunto família é sempre muito booooooooooooom!!!

Luiza Duarte Leão disse...

A Julia veio a esse mundo muito bem servida de pai, viu? Eita sorte!

Yúdice Andrade disse...

Imagino que haja uma sedução em cada idade, Ana. Mas quanto a isso, por ora, só posso especular.

Luiza, ao menos ela tem um pai que quer merecer uma avaliação como essa.