quarta-feira, 18 de maio de 2011

A bolinha da vez

Cada comprimido de CELESTAMINE contém 0,25 mg de betametasona e 2 mg de maleato de dexclorfeniramina.

CELESTAMINE reúne o efeito antiinflamatório e antialérgico da betametasona e a ação anti- histamínica do maleato de dexclorfeniramina. O uso combinado da betametasona e do maleato de dexclorfeniramina permite a utilização de doses menores de corticosteróides com resultados semelhantes aos obtidos com doses mais altas de corticóide isoladamente.
Maleato de dexclorfeniramina As reações adversas a este componente têm sido similares às relatadas com outros anti- histamínicos. Sonolência leve a moderada é o efeito adverso mais freqüente do maleato de dexclorfeniramina.

Nunca fui de sentir sono por conta da ingestão de medicamentos, mas ontem descobri que o produto supranominado não exagerou na bula. Essa foi a razão da ausência de postagens no blog ontem. Hoje, estou tentando administrar a vida.

2 comentários:

Thiago Trevenzoli Julien R. disse...

Você ingeriu a superdosagem e teve efeitos alucinógenos? Difícil encontrar algum arquivo farmacológico em que há casos de superdosagem aplicada relacionada à associação neurótica do SNC... Apenas de casos de glaucoma em grau alto e casos específicos. Obrigado

Yúdice Andrade disse...

Nada de superdosagem. Não sou de tomar remédios, então faço apenas o que me mandam e olhe lá. Mas vou torcer para não precisar de novo do remédio e, claro, para não ter nenhum efeito alucinógeno. A realidade já está suficientemente enlouquecedora.