sábado, 28 de maio de 2011

O sujo...

Sei que não se deve dar cartaz para essa briguinha de comadres, mas não pude deixar de achar divetidíssima a cobertura que o Diário do Pará deu à marcha contra a corrupção organizada pela Ordem dos Advogados do Brasil, Seção Pará, hoje. Leia.
É como eu sempre digo: a retórica é uma arte!

9 comentários:

Luiza Duarte Leão disse...

Eu até que pretendia ter ido pra passeata, até o Liberal aderir, como se fosse uma causa sua. Desvirtuou totalmente o objetivo.
O ruim é que, mais uma vez, ficamos sem saber a verdade. Jamais saberemos se foi um sucesso ou um fracasso, se foram 4 ou 15 mil pessoas, como "informam" um e outro.

Anônimo disse...

Sr. Yudice, desculpe a ignorancia, mas e que eu sempre aprendo um pouco mais quando leio seus textos, o que o que o Sr. quer dizer com a frase: "a retórica é uma arte"

Frederico Guerreiro disse...

É realmente o sujo falando do mal lavado. Perde o jornalismo, perde o leitor, perde o povo.

André Carim disse...

Retóricos ou sofistas?

Ana Miranda disse...

Yúdice, diferente dessa passeata dos advogados aí em Belém, aqui em Juiz de Fora, foi proibida uma passeata pela legalização da maconha, porém, 10 pessoas resolveram, assim mesmo, sair com cartazes pela rua.
Ninguém aderiu, ninguém aplaudiu e a polícia nem perdeu tempo dispersando "o grupo" que atravessou o calçadão e foi embora...

Anônimo disse...

Eu fui, e tive a impressão de que tinha pouca gente mesmo. Coisa de 4 mil.

Tanto que, quando anunciaram mais de 8 mil assinaturas no tal abaixo assinado, eu me senti um tanto surpresa, outro tanto enganada...

Yúdice Andrade disse...

Luiza, eu não pensei em ir.
Quanto ao número de pessoas, as imagens do helicóptero de "O Liberal" não mostraram uma aglomeração tão grande assim. Tanto que não foram gravadas em plano muito aberto.

Das 18h34, fico honrado com seu comentário. O que eu quis dizer é que, por meio da retórica, duas pessoas podem descrever o mesmíssimo fato de modos tão díspares, que as conclusões a respeito do ocorrido seriam completamente diferentes. A solução é ter senso crítico, para identificar alguma verdade em meio aos extremos mal intencionados.

Mas alguém ganhou, Fred. E não fui eu.

André, pensei em retórica de modo bastante genérico. Mas se quisermos lembrar outros artifícios linguísticos, aplicáveis a este caso, podemos invocar também as falácias.

Será que eles conseguiram comunicar a mensagem desejada, Ana?

Ora, das 1h32, cada participante assinou duas vezes!!!

Anônimo disse...

Muito obrigada por me responder, seu Yudice, eu é que fiquei honrada!

Yúdice Andrade disse...

"Seu Yúdice" soa muito engraçado para mim!