quarta-feira, 23 de março de 2011

Uma árvore em minha porta

Em outubro de 2009, comentei aqui no blog que precisava resolver um problema doméstico: substituir um fícus que crescia na calçada de minha casa. Essa espécie não era adequada porque suas raízes se espalham horizontalmente e acabam por baixo das edificações, gerando rachaduras e até problemas mais sérios. Como leigo e leso no assunto, pedi sugestões de árvores que poderiam ser plantadas, eis que tenho necessidade de contato com a natureza e não queria abdicar da benfazeja sombra que o vegetal me proporcionava.
Na ocasião, recebi do amigo Wagner Okasaki, titular do excelente blog Belenâmbulo, a sugestão da chuva-de-ouro brasileira. Na caixa de comentários dessa postagem, um comentarista anônimo sugeriu a pata de vaca. Mas como procrastinador convicto que sou, quase um ano e cinco meses depois a questão não foi dirimida. Mas agora ela precisará ser.

Dia desses, havia um ninho de passarinho aqui, com dois
ovinhos dentro: um acontecimento na vida da pequena Júlia.

No começo da tarde de hoje, chuva e vento muito fortes fizeram isso que a imagem mostra: nosso fícus rendeu-se a uma força maior e tombou. Chegando em casa, fiquei surpreso e triste com a visão. Júlia, que ontem mesmo comentou que adorava ficar à sombra da árvore, ficou arrasada.
Enfim, agora não temos mais árvore alguma. Estou muito incomodado com a visão do espaço sem o verde, mais iluminado e mais devassado, já que a planta ajudava a proteger a privacidade de nossa sala de estar.
Por isso, agora eu realmente preciso de uma outra árvore para plantar na minha calçada. Daí que necessito de recomendações sobre espécies condizentes com o tipo de utilização. O ideal é que não sejam vegetais muito grandes (a fiação elétrica passa em cima), cujas raízes não ofereçam perigo às edificações, que sejam de fácil manutenção e, de preferência, cuja copa seja cerrada, para assegurar uma boa sombra, um alívio para as tardes de calor excessivo que, nesta cidade, são a regra. Se derem flores, então, será perfeito!
E se não for pedir demais, gostaria que me dissessem onde adquirir uma muda da dita cuja. Prometi a Júlia que ela me ajudaria a plantar nossa nova amiga.
Por favor, meus amigos, me ajudem nessa!

3 comentários:

Luiza Duarte Leão disse...

Não faço a menor idéia de que planta seria mais apropriada, mas, diante do apelo, só gostaria de registrar que, se eu pudesse, ajudaria, com certeza! Serve? hehe

Ana Miranda disse...

Eh...eh...eh...
Eu não entendo nadica de nada de plantas.
Boa sorte aí na sua procura...

Yúdice Andrade disse...

Serve, Luiza. Apoio moral sempre serve.

Valeu, Ana.