quarta-feira, 26 de maio de 2010

Raciocínio lógico

Júlia no meu colo esta manhã, acariciou meu rosto, brincando com a barba. Tocou na altura do malar e disse:
— Aqui não tem barba.
— A barba do papai cresce até aí, minha filha — expliquei. — Mas eu raspo porque não sou lobisomem para ter pelo no meio da cara.
— O papai não é lobisomem... — Ela parecia digerir a informação nova. Nem sei se ela já escutara antes a palavra "lobisomem". Talvez sim, por causa das histórias da turma do Penadinho.
Continuamos a conversar. Júlia, tocando o próprio rosto, comentou que ela não tinha barba.
— Você sempre terá esse rostinho macio, filha — disse. — Porque você é menina e meninas não têm barba.
— É, menina não é lobisomem!Notaram o raciocínio lógico? Se você já teve a oportunidade de assistir a uma aula de Filosofia, em algum momento de sua vida, é provável que o professor lhe tenha dito que todo homem é mortal; Cícero é homem; logo, Cícero é mortal. O bom e velho silogismo.
A mãe, professora de Lógica, há de ficar animada.

7 comentários:

Carlos Barretto disse...

Tive um silogismo destes com meu filho mais velho há cerca de 12 anos. Infelizmente, ele é verdadeiramente impublicável.
Ahahahahah!

Frederico Guerreiro disse...

Logo, segundo a lógica do Yúdice, o Fred é um lobisomem.

Ana Miranda disse...

Eh...eh...eh...
Muitos ainda virão, caro Yúdice, e a alguns você ficará puto da vida com o tal silogismo lógico...
Filhos muito inteligentes perguntam muito cedo coisas que a gente nem se preparaou psicologicamente para responder, mas, nada como ser verdadeiro e não ficar inventando historinhas.
Pau é pau e pedra é pedra.
Não adianta colocar florzinha, hão de continuar sendo, cada um no seu lugar, pau e pedra.

Yúdice Andrade disse...

Mas espero tomar conhecimento do tal silogismo em uma outra oportunidade, Barretto.

Não necessariamente, Fred: basta raspar na região dos malares!

Sem dúvida, Ana. E espero estar pronto para os questionamentos e comentários desconcertantes. Pelo que imagino agora, não pretendo ficar cheio de pudores, muito menos inventar asneiras. Pretendo ser o mais verdadeiro e científico possível.

Polyana disse...

Hum... daqui a um ano já dá pra ensiná-la a programar em Prolog ;)

Yúdice Andrade disse...

Não no meu computador...

Carlos Barretto disse...

Eu deixaria!
Polyana! Assuma logo o comando deste computador!