domingo, 16 de maio de 2010

Vida de pós-cinéfila

Não pude esconder ou evitar a surpresa quando o Yúdice me convidou para ser colaboradora do blog. Isso porque eu não costumo escrever muito na internet, porque sou de exatas e ele vive reclamando das minhas vírgulas, porque o blog dele é algo tão pessoal. Justamente por este último motivo fiquei muito feliz com o convite, que já foi feito há algumas semanas, de compartilhar este espaço virtual, mas muito concreto no tempo e coração de meu marido. Ele ama este blog, e escrever aqui também tem um gostinho muito especial para mim. Vai ser bem legal poder escrever de vem em quando (ainda não tenho idéia da periodicidade) sem a pressão de manter um blog meu.

Tive um blog há muito tempo atrás, quando era estudante. Chamava-se Vida de Cinéfila, e eu assinava pelo meu codinome, Cher (sim, por causa da atriz e cantora). Enquanto escrevia este post de apresentação, fiquei curiosa para ver se ainda havia algum resquício dessa experiência na internet. Fiz a busca e encontrei isto: "Você gosta de cinema? É cinéfilo? Conheça os relatos da minha Vida de Cinéfila, minhas experiências com a sétima arte. Filmes, criticas, astros, livros, poesia, música..." e um link para cher.weblogger.com.br que não funciona mais. Como é fácil perceber, escrevia sobre cinema, fazia minhas críticas dos filmes que via e dos assuntos afins, numa época em que cinema era minha principal diversão, em que podia ir ao cinema três ou quatro dias por semana.

Não sei se sou cinéfila ainda, embora goste muito da sétima arte. Por causa dos compromisssos da vida de adulta eu agora passo semanas, às vezes meses sem ir ao cinema. Mas este será um tema de meus posts, com certeza.

Além de admiradora do cinema, também sou mãe da Júlia e dos meus alunos. Sou apaixonada pelo meu marido e pelo que ele representa na minha vida. Não sei usar tão bem as palavras quanto ele, mas prometo fazer meu melhor que meu cérebro de ciências exatas permitir.

Acho fantástico o número de pessoas que o Yúdice cativou com suas palavras (eu, claro, sempre fui atraída por elas) e não tenho a pretensão de conseguir o mesmo. Só espero me divertir escrevendo aqui e diverti-los enquanto me lêem.

9 comentários:

Ana Miranda disse...

Eu, como leitora assídua do senhor seu marido, desejo-lhes boas vindas e com certeza terei o mesmo prazer de lê-la quanto tenho ao lê-lo.
Eu tenho um filho cinéfilo. E ele o é desde os 9 anos de idade. ele coleciona clássicos. Começou aindas nos VHS e hoje trocou-os todos por DVDs. O sonho dele era fazer faculdade de cinema, mas sabemos que é preciso muito mais que uma faculdade de cinema para ser cineasta. Então ele fez jornalismo que era o que mais o aproximava de sua paixão pela Sétima Arte e quem sabe , um dia, ele vire crítico de cinema?
Então, a partir de hoje teremos textos do casal? Que legal!!!

Tanto disse...

Bem vinda, Polyanna. Com essa dupla maravilhosa, não vai ter para ninguém.

Polyana disse...

Obrigada pelas boas vindas. Cinema, computação, maternidade serão temas sempre presentes. E, se não houver censura do marido, as séries e jogos, heheheh

Luiza Duarte disse...

Polyana, seja bem vinda. Que a parceria e cumplicidade entre vocês se estenda cada vez mais e que as coisas a serem divididas só aumentem (um irmãozinho pra Julia, de repente! hehe). Beijos.

Belenâmbulo disse...

É a comunhão de bens levada a sério.

Bem-vinda!

Yúdice Andrade disse...

Quanto ao irmãozinho, Luiza... Falemos sobre isso daqui a alguns anos. Uns vinte, pelo menos.

Adorei a comunhão de bens, Wagner!

Anônimo disse...

Querida Poly!!!
Você cativará as pessoas com suas palavras com certeza, porque as palavras brotam do seu coração.
Beijão

Anônimo disse...

Poly!!! Como dominas as tecnologias tens que me ensinar a criar uma conta no google, não quero ser anônima.
Cris Cordeiro

Jean Pablo disse...

Baah Poly

Eu lembro quando recortávamos as sinopses dos filmes das revistas de programação da TVA para poder você utilizar no seu blog.

Isso nos idos de 2000.

Baah, como passa rápido.

Abraços

Jean Pablo