quarta-feira, 12 de maio de 2010

As crônicas de Júlia

A querida blogueira Waleiska, que mantém o FaloPorqueTenhoBoca (link aí ao lado), mantém um marcador chamado "Super Dalila", reunindo as postagens que ela produz sobre as sacadas, tiradas, chistes e gracinhas em geral de sua filha. Inspirado nela, inauguro as "crônicas de Júlia", um compartilhamento das sacadas, tiradas, chistes e gracinhas em geral feitas por minha pequenina, do alto de seu ano e nove meses.

Causo 1Noite dessas, voltávamos para casa após um aniversário. Esperávamos que Júlia dormisse no trajeto, mas ela permanecia ativa. Em meio a um inesperado e absurdo engarrafamento na BR-316 mais de nove da noite, conversávamos para entretê-la. Em dado momento, brinquei de conferir quem estava no carro.
— Cadê a mamãe?
— Presente! — responde Polyana.
— Vovó?
— Aqui — responde minha mãe.
— Cadê a Júlia?
— Aqui, roendo a unha do pé!
Com a baixa iluminação e a reduzida acuidade visual, minha mãe não percebera, mas de fato Júlia se distraía enfiando o dedão de um dos pés na boca, tentando roer a unha, àquela altura comprometida por um indesejável chulé.

Causo 2Aconteceu no almoço de hoje. Sentada em seu cadeirão, Júlia chama Tia Sú, a empregada. Esta chega perguntando o que ela está fazendo.
— Juju está fazendo besteira!
Surpresa com a resposta, d. Sueli pergunta a que besteira Júlia se refere.
— Estou colocando pedacinhos de carne no suco!
Com uma cara altamente sapeca, Júlia exibe um copo de suco emporcalhado com um monte de pedacinhos de carne.

Causo 3Menos de uma hora atrás. Estou almoçando e Júlia vê as batatas fritas. Pede. Tia Jose responde que ela só pode comer "carinhas de batata" (as chamadas "batatas sorriso") e que aquelas são de outro tipo, são "comida de adulto". Tentamos evitar que, ainda tão cedo, Júlia tome gosto por frituras. Oferecemos a ela batata frita, uma vez, mas ela não apreciou. Hoje, voltou a manifestar interesse. Tia Jose, diante da abordagem direta, perguntou-me se podia dar. Disse que sim. Júlia ganhou sua batata, experimentou e gostou. Decidi dar-lhe outra.
Assim que pegou o palito de batata, riu, agradeceu e foi na direção de Tia Jose. Exibiu-lhe o prêmio e, entre satisfeita e provocadora, anunciou:
Comida de adulto!
A mim só restou fazer uma ressalva:
— É, mas você ainda é criança!

Qualquer hora dessas, novas historietas da molecotinha.

6 comentários:

Ana Miranda disse...

Que delícia!!!!!!!
Eu tenho um monte dos meus filhotes também. Escrevi e guardei, hoje eles adoram ler.

Tanto disse...

Maravilhosas as histórias. Égua da menina esperta!

Luiza Duarte disse...

Adorei a idéia! As "Crônicas de Julia" vão ser lindas, certamente. Nessa fase, eles aprontam cada uma, que tem mais é que registrar mesmo!

Yúdice Andrade disse...

Uma de minhas grandes tristezas, Ana, é a perda das memórias de minha família. Talvez por isso eu seja um pouco obcecado por garantir que a Júlia tenha acesso a toda a sua vida. Espero que ela se interesse como eu me interesso e faça bom proveito do que eu conseguir produzir.

Ela surpreende, Fernando.

Imagina as futuras, Luiza, quando ela for ficando cada vez mais consciente!

jk disse...

olha e chow de de bola viu julia a sua cronica

Yúdice Andrade disse...

Júlia agradece sua simpatia, JK.