quinta-feira, 24 de julho de 2008

Comunicação de nascimento

O silêncio reinante no blog, percebido por um gentil comentarista, explica-se pelo motivo mais glorioso que eu poderia apresentar: Júlia nasceu, enfim, após uma espera que, para nós, começou efetivamente em 6 de dezembro passado.
Ela veio ao mundo com 49 centímetros e 3,2 quilos, saudável, sem qualquer complicação. É certo que assistir à cirurgia do parto cesariano foi a experiência mais punk da minha vida, mas o meu antigo gosto pela Medicina (quase prestei vestibular para o curso) me permitiu olhar cada detalhe sem susto. Era quase como se não me dissesse respeito. E, de quebra, arrebentei as certezas de quem supôs que eu passaria mal, desmaiaria, etc. As fotos e filmes que fiz durante o parto provam que minha mão estava firme.
Um tremor incomum veio, todavia, quando ela surgiu de corpo inteiro à minha frente e chorou. Aí você chora também, claro. E de novo quando a pediatra vai limpando o corpinho. E mais uma vez quando conta que tudo correu bem para a família e os amigos e percebe que todos estiveram o tempo inteiro do seu lado, vibrando. E até mesmo agora, escrevendo estas linhas para vocês.
Queremos agradecer à equipe médica, capitaneada pelo anestesiologista Antônio Carlos, o toco-ginecologista e cirurgião Aloísio Marques e a pediatra Rosa Marques, que contou com a assistência da tia de Polyana, também pediatra Maria de Jesus Malheiros da Fonseca, que saiu de casa, recuperando-se que está de um grave acidente de trânsito que contei aqui no blog, exclusivamente para nos dar este suporte, acima de tudo emocional.
Mãe e filha passam muito bem e a primeira noite, também contrariando os inúmeros arautos da desgraça que cruzaram meu caminho nos últimos meses, foi muito mais tranquila do que esperávamos. Júlia chorou umas três vezes, mamou e voltou a descansar. Trocamos a fralda uma só vez. Ela colaborou o máximo que pode. Quando deixei a maternidade para vir em casa, dormia a sono solto, após mamar e tomar o primeiro banho.
Não posso dizer ainda com quem ela se parece, mas posso afiançar que não se parece com um joelho! Aliás, sem vaidades e exageros, acredito que é uma recém-nascida linda e sua pele é a coisa mais macia e gostosa em que já pus a mão. Esta segunda parte pode ser uma impressão estritamente pessoal, mas é assim que me sinto.
Não estou certo de que volte a postar no dia de hoje. Mas o farei na primeira oportunidade, assim como responderei aos comentários carinhosos dos amigos, reais e virtuais, mas todos queridos.
Fiquem com Deus.

12 comentários:

Cris Moreno disse...

Caramba! Yúdice, que horas ela nasceu? Ela é cabeludinha? Estou feliz também por vocês. Esta menina vai dá nó em trilhos, você vai ver. Não se engane com essa calmaria toda. Leonino é fogo, literalmente! Pensei o dia inteiro em vocês. Cuide de Polyana agora, mais do que nunca. O processo pós-parto é delicado.

Beijos.

Anônimo disse...

A notícia mais aguardada do ano!!!

Bem-vinda, Júlia!

Parabéns, papai Yúdice e mamãe Polyana!

É uma alegria saber que ela irá crescer num meio que valoriza e prioriza o conhecimento, a ética, o caráter, o senso crítico, a cidadania e a gentileza, valores que nos fazem acreditar em um mundo melhor.

Um grande abraço e fiquem todos com Deus!

Adelino Neto

Luiza Duarte disse...

Que boa notícia! Agora sim, a família está mais do que completa. Nada como uma criança em casa pra trazer sorrisos e felicidade!

Desejo tudo de bom pra vocês todos e que Júlia cresça sobre as melhores influências e sentimentos.

Flanar disse...

Mas esta notícia trouxe-me a tranquilidade que faltava para iniciar minha viagem em paz, na certeza da paz e felicidade dos bons amigos. Mesmo que virtualíssimos, mas muito mais intensos, do que talvez fosse factível na chata da vida real.
Que assim seja.
Obrigado, Júlia, Yúdice e Polyana pelo prazeiroso convívio que vcs nos proporcionaram.
Deixa agora eu correr.
Até a volta.

Anônimo disse...

Parabéns, meu amigo, muita saúde e felicidade para a sua pequena e muito paciência, coragem, boa sorte para vocês dois daqui para frente. Este não é o melhor dos tempos para se crescer como criança, mas vocês certamente serão os melhores amigos e guias com que a Júlia poderia contar. Abraços!

Francisco Rocha Junior disse...

Um viva à Júlia!
Seja bem-vinda!

edyrap.bel disse...

Yúdice, parabéns!
Como foi bonito acompanhar, aqui no blog, sua expectativa pela chegada da herdeira. Diria, emocionante, bonito, mesmo. E repito, tenho admiração por sua postura ética, opiniões, maneira de encarar a vida.
Parabéns, novo papai
Edyr

Frederico Guerreiro disse...

Parabéns, Yúdice! Agora começas uma nova vida, junto à sua filha e esposa. Aproveite ao máximo esse momento sublime da vida.
Desejo muita saúde à pequena Júlia. Transmita meus votos de saúde à sua esposa, também.
Forte abraço

Luciane disse...

Parabéns, Yúdice.

Fico muito feliz com a notícia. Por saber que a Polyana nasceu, por saber que deu tudo certo no parto.

Felicidades!

Luciane.

Marcela Bouth disse...

Que lindo, professor! Logo se nota em suas palavras a felicidade que o senhor está sentindo :) que bom! Correu tudo bem, graças a Deus! E espero que assim continue ao longo de todos os anos :) Boa sorte professor!!!!!

Vladimir disse...

Yúdice, só hoje li o post. Por isso, sá agora vão os imensos PARABÉNS!!!
Fico feliz por você e por Pollyana. Não preciso dizer o que um filho representa na vida de alguém, pois tenho certeza que vocês sabem (e saberão) apreciar por completo essa dádiva divina. Fico também feliz pela Júlia, que já nasceu felizarda por ter vocês como pais! Abraços, Vlad.

JOSÉ DE ALENCAR disse...

Felicidades, Yúdice.

Bilu bilu, nenen..